Leitura de férias

RENÚNCIA

RENÚNCIA

O romance narra uma das reencarnações de Emmanuel, no século XIV, na Espanha, como Padre Damiano.

É uma história real, em França, Espanha, Irlanda e Américas, e fala do heroísmo e Martírio de Alcione, sua vida que não representava um feixe de atos comuns, mas um testemunho permanente de sacrifícios santificantes.

Diz Emmanuel: “Este é um livro de sentimento, para quem aprecie a experiência humana através do coração. Em particular, falará a todos os que se encontrem encarcerados, sentenciados, esquecidos daquele amor que cobre a multidão dos pecados, consoante os ensinamentos de Jesus”.

Além da história:

Não deixe de prestar atenção na descrição maravilhosa de um esfera superior, que você encontra logo no primeiro capítulo (a partir da página 27), em diante:

“Em seguida, tomou a roupagem de luz e afastou-se da paisagem nevoenta, dando a impressão de uma estrela solitária que regressava ao paraíso.

Pouco depois, ei-la que aporta em portentosa esfera, inconfundível em magnificência e grandeza. O espetáculo maravilhoso de suas perspectivas excedia a tudo que pudesse caracterizar a beleza, no sentido humano.

… Três sóis rutilantes despejavam no solo arminhoso oceanos de luz mirífica, em cambiâncias inéditas, como lampadários celestes acesos para edênico festim de gênios imortais. Primorosas construções, engalanadas de flores indescritíveis, tomavam a forma de castelos talhados em filigrana dourada, com irradiações de efeitos policromos.

… Alcione penetrou num templo de majestosas proporções, dominada por pensamentos intraduzíveis. Muito acima da nave radiosa, elevava-se uma torre translúcida, trabalhada em substância sólida e transparente, semelhante ao cristal, de cujo o interior jorravam melodias harmoniosas.

O santuário augusto era uma vasta colméia de trabalho e oração. …”

Este mundo maravilhoso descrito por Emmanuel, fica no sistema de SÍRIUS.

Note que o espírito levou pouco tempo para ir da Terra a Sírius que fica a 8,57 anos-luz de distância. No texto esta escrito “Pouco depois, ei-la que aporta em portentosa esfera…”

Atente para o fato que a astronomia diz que Sírius é uma estrela binária, e o livro informa que tem “três sóis rutilantes”.

Veja a seguir algumas informações sobre a estrela SÍRIUS,

Sirius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Imagem fotográfica de Sirius A e B, hubble

Sirius ou Sírio (a CMa / a Canis Majoris / Alpha Canis Majoris) é a estrela mais brilhante no céu noturno , com uma magnitude aparente de -1,46, localizada na constelação de Canis Major . Pode ser vista a partir de qualquer ponto na Terra , sendo que, no hemisfério norte é considerada o vértice do Triângulo Invernal .

“Sirius, maravilhosa estrela de nosso firmamento, possui grande magnitude por causa de distar somente 8,57 anos luz da Terra.

Ela emite 23 vezes mais luz do que o Sol e é 2,4 vezes maior do que ele.

Sirius faz parte da Constelação de Canis Major (O Grande Cão) e faz par com a Constelação de Canis Minor (O Pequeno Cão). Os dois cães pertencem e servem o caçador celeste Orion. Tinha seu brilho em vermelho e tornou-se branco azulado.

Sirius é uma estrela binária. No início de 1844 o astrônomo alemão Friederich Bessel notou que Sirius não se movia no céu de uma forma reta, como as outras estrelas fixas, mas sim seguia um caminho serpenteado. Bessel concluiu que Sirius teria uma companheira invisível cujos efeitos gravitacionais provocavam este comportamento. Foi somente em 1862 que esta companheira, chamada de Sirius B, foi realmente descoberta através de um telescópio e apareceu como um pequeno ponto de luz perto da luminosa Sirius A. Existem teorias ainda não confirmadas que apotam para uma terceira estrela.

A história desta luminosa estrela é bastante singular. No antigo Egito, a estrela Sirius era alvo de uma particular veneração, seu aparecimento no céu coincidia com o momento da cheia do rio Nilo ( aproximadamente 3.000 anos A.C.), no auge do verão, cheia que vinha trazer prosperidade e fertilidade às terras inundadas.

Os astrônomos nos tempo antigos ( 1.500 A .C.) descreviam Sirius como sendo de luz avermelhada, uma luz mais vermelha do que aquela do planeta Marte. Atualmente a sua luz é branca azulada, como pode ser observado a olho nu no hemisfério Norte ao se olhar o céu num determinado período do ano (mês de janeiro).

Sirius é a primeira estrela conhecida com absoluta certeza pelos hieróglifos egípcios, (e as vezes representada por um cão), e aparece nos monumentos e templos ao longo do Rio Nilo. Entre estes existem os Templos da Deusa Hathor, ou Isis Hator, que eram erguidos com orientação para a estrela Sirius. Os Egipcios acreditavam que Sirius detinha o destino de nosso planeta. É para lá que iam as almas dos Faraós e sacerdotes após a morte para “receberem instruções” e ganhar conhecimento. Alguns historiadores pensam que à partir desta estrela chegaram ao Egito os Deuses que ensinaram toda a sua sabedoria a este povo da antiguidade” (Obs:. atenção para o livro “A CAMINHO DA LUZ” ditado pelo espírito de Emmanuel, que afirma que a raça adâmica veio da estrela CAPELA).
Espírito: Emmanuel

Médium: Francisco Cândido Xavier

Livro: “Renúncia”

Editora: FEB

Anúncios